23 de mar de 2012

Então, ao tempo ~ The clock doesn't stop ticking

Há um ano eu estava segurando as mãos inchadas da minha irmã grávida na maternidade. Ela tranquila, eu ansiosa. Ela Mãe, eu Tia. Nós juntas: família!
Família esta que cresceu com a chegada da pequena Nathália. E se transformou, viu?
Transformou-se pra melhor, pra muito melhor. Porque as crianças nos devolvem os sonhos, os encantos e o entendimento da nossa fragilidade como seres humanos. Além de nos ajudar a lutar contra a seriedade.
Por falar em seriedade, eu saí correndo dela na primeira festa de aniversário da Nathália. Entrei na piscina de bolinhas, brinquei no pula-pula e até fiquei entalada no escorregador (que vergonha...). Quer saber? Eu curti mais a festa da pequena do que ela própria! Porque convenhamos, uma criança de 1 ano nem tem muito discernimento.
Minha irmã sabe disso, e quis fazer uma festa pequena, tipo "um bolinho pra não passar batido". Mas já contei pra vocês que as festas na minha família começam como faíscas e terminam como labaredas. Então o "bolinho" da Nathália se transformou numa festa linda, com motivo da Galinha Pintadinha, desenho que minha pequena ama de paixão.
Preciso fazer uma ressalva aqui: o fermento que faz as festas da família crescer é adicionado pelos próprios familiares. Somos nós que fazemos a ideia ganhar proporções de sonho, ajudando de todas as maneiras possíveis. E isso eu acho muito bonito na família brasileira: o envolvimento e compromisso em ajudar. Não vejo esse comportamento em muitos países mundo afora...
Um exemplo: a Cláudia, minha irmã, encomendou 1.200 docinhos pra festa. Sabe quem fez todos? A sogra dela, uma exímia cozinheira.
Os docinhos chegaram ao salão de festa e montamos um esquema  que mais lembrava as linhas de produção de Henry Ford: uma tia abria as forminhas, a outra colocava o docinho dentro delas, uma terceira levava os doces embalados à mesa e eu montava a decoração da mesa. Olha que luxo:
 Agora detalhes do bolo, da mesa de doces e das Galinhas, que são fofíssimas:
Eu fiquei apaixonada pela decoração e muito orgulhosa de ter ajudado a deixar tudo bonito! Nossos primos e primas também curtiram a decoração e cada um (a) pegou um galináceo para chamar de seu/sua!
A farra sobrou até pra Vó Maria, que no dia da festa completava 86 anos de vida!
Veja como o tempo passa... A bisneta completando 1 ano, a Bisavó 86...
E para finalizar o papo sobre festinhas, doces e o passar do tempo, gostaria de compartilhar com você um belo texto que ouvi recentemente no encerramento da novela A Vida da Gente (yes, de vez em quando eu assisto novela). O discurso foi proferido por uma personagem já senhora, mas suas verdades são atemporais:

Quem teve o privilégio de viver muito sabe que o tempo é um mestre muito caprichoso. Às vezes as suas lições são tão repentinas que quase nos afogam. Outras vezes elas se depositam devagar, como a conta-gotas, diante da avidez de nossas perguntas. E por isso quem teve o privilegio de viver muito tempo – como tantos amigos aqui do nosso baile – aprende a olhar com serenidade o turbilhão da vida. Amores ardentes se extinguem, urgências se acalmam, passos ágeis ralentam. Enfim, tudo muda. Muda o amor, mudam as pessoas, muda a família... Só o tempo permanece do mesmo modo, sempre passando.
E é por isso que eu queria esta noite erguer um brinde a ele, que esculpiu no meu rosto e na minha alma a sua marca da qual eu tanto me orgulho.
Então, ao tempo!

Lindo, né?


Então, ao tempo!

Parabéns Claudinha e Rodrigo pela bela festa!
Parabéns Nathalinha pelo seu primeiro ano de vida e obrigada por me trazer tanta felicidade!

-=♥=-

1 de mar de 2012

Criatividade ao alcance dos dedos ~ Lend a hand to your creativity

Dias atrás vi uma fotinha no site da Gi que achei o cúmulo da fofurice. Tratava-se de dois dedos  pintados com canetinha simulando um casal se abraçando, criação original da Sophie Ullrich. Derreti de amores e pensei: Porque não tentar reproduzir a foto com meus dedos brasileiríssimos? Comecei pintando as carinhas com marcador para reto-projetor, cruzei os dedos e Click! Editei as fotos no site Picnik (maravilhoso para criar efeitos e retocar fotos) e compartilho com vocês o resultado, que já ganhou o Troféu Fofura de março/2012:
Gostei tanto do resultado que decidi fazer um cartão!
Mais simples impossível... É só comprar um papel com gramatura reforçada, dobrar no formato do cartão, imprimir a foto em formato 7,5x10cm, recortar e colar.
Preço estimado do cartão: R$ 4,00
Ganhar um cartão personalizado feito com carinho: não tem preço...

-=♥=-