Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2013

E os cadeados se espalham pelas pontes Europeias... Love padlocks

As pontes europeias, principalmente as construídas em cidades turísticas, estão extrapolando a função primária de ligar dois pontos separados por um rio para se tornaram, também, depósitos de cadeados com juras de amor eterno. A tradição dos cadeados começou em Paris, na emblemática Pont des Arts, ponte pomposa que atualmente atrai mais turistas pelos milhares de cadeados nela pendurados do que pela beleza intrínseca de seus arcos e traços.  E como o amor não conhece fronteiras, tampouco limites, os cadeados apaixonados foram se espalhando como uma praga do bem pelas pontes da Europa.  A ponte Alte Brücke, que fica em Heidelberg, uma cidadezinha alemã de beleza extraordinária, não escapou dos casais apaixonados.  O que de longe parece ser só uma ponte... 
De perto, é uma ponte + um depósito de cadeados, dos mais variados tamanhos e cores, que se empilham nos poucos lugares onde é possível trancafiar o cadeado.


Espiar os detalhes dos cadeados é um prato cheio para os curiosos!  Alguns…

Freiburg & Nina

Ai ai... Coisa boa é rever quem a gente ama.  Sei que a vida anda corrida para todos nós, mas precisamos fazer oportunidades e encontrar tempo para cultivar os afetos que são importantes na nossa vida.  E o que não faltou na minha curta jornada pelas terras germânicas foi este tipo de cultivo afetivo. Encontrei a Aninha, encontrei o Kader - um grande amigo meu da época da pós-graduação e, no último dia da viagem, encontrei a Nina.
Nina e eu nos conhecemos pessoalmente alguns anos atrás na Alemanha. Ela me ajudou muito, e de várias maneiras, durante aquela fase da minha vida. Acabei voltando para o Brasil, mas a amizade permaneceu firme, a despeito da distância e do tempo.
Sinto pela Nina um amor fraterno, além de muita admiração. E sempre que nos reencontramos, é uma alegria só. Nosso último encontro não fugiu à regra... Foi alegre do início ao fim! E contou com um aditivo: a Nina conheceu a Maria, e a Maria finalmente conheceu a Nina. Estas duas mocinhas se deram muito bem e me pass…

Blogueiras saltitantes no Großer Garten ~ Having a blast at Großer Garten park

Se você imagina que um parque alemão é sinônimo de sossego, natureza e tranquilidade, você acertou. Mas até o cenário pacato de um parque pode mudar com a chegada das blogueiras saltitantes...  Elas agitam geral e pulam 1.001 vezes até obter o salto perfeito. Até lá, o riso rola solto e não há pedestre que não se "comova" com o empenho destas duas criaturas rss...  As criaturas saltitantes da foto ao lado são Ana Gaspar e eu.  Nós duas tricotamos por e-mail e pelos blogs há mais de 2 anos, e no decorrer deste período, descobrimos um montão de afinidades. A amizade foi acontecendo de forma muito natural e há alguns dias tivemos a oportunidade de trazer nossa amizade para o campo "real".  Visitei a cidade em que a Ana mora na Alemanha - e na qual eu por coincidência também já morei -  e marcamos um almoço num parque que ambas gostamos muito. Quando vi minha amiga mineira caminhando rumo ao local marcado eu não tive dúvidas! Gritei logo: - É você "muié"? - …

Dresden

Dresden, a capital da Saxônia, acumula beleza na mesma proporção em que acumula história.  Uma história que ganhou contornos prósperos com o minério escoado pelo Rio Elba, e perdeu contornos físicos com os bombardeios da Segunda Guerra Mundial. Os contornos emocionais decorrentes da história, que sempre são profundos e delicados, ainda hoje delimitam certas distinções entre a população local e o resto da Alemanha, bem como entre a população local e o resto do mundo. Não é preciso ser um sociólogo para deduzir quem leva o ônus e quem leva o bônus neste tipo de comparação... Geralmente, quem vêm de fora sempre leva o ônus... Mas eu como turista, só levei o bônus! O bônus de ver Dresden novamente, imersa numa enorme miríade de contornos, mas completamente reconstruída e adoravelmente barroca. Esta cidade é considerada a capital barroca da Europa e faz por merecer este título nas fachadas de suas principais edificações.  Morei 6 meses em Dresden e retornar a esta cidade foi um prazer eno…

O último suspiro do outono ~ Late Autumn colors

Subi numa bicicleta, daquelas que têm cesta para flores, e pedalei em pensamento até chegar num lugar onde o outono ainda existisse. De tanto pedalar, o pensamento ganhou musculatura e se fez realidade. Num piscar de olhos coloquei oceanos e mares entre os problemas eu e, munida com minha máquina fotográfica, registrei a mais encantadora das estações do ano num lugar que que fica  far, far away... Mas perto, bem perto aqui do lado de dentro. Era tanta saudade que daquela terra distante que por vezes, me comovi. A beleza das paisagens era tamanha, e tão familiar, que me senti em casa. O encontro e reencontro com pessoas queridas me deram a exata medida do quanto o carinho cresce, e floresce, em seus próprios termos.  Tenho boas histórias pra contar. Mas antes fazer uso das palavras, é com as fotografias que vou me comunicar, mostrando a vocês o último suspiro do verde, do amarelo e do vermelho. Posso dar uma sugestão? Clique na música abaixo... Ela vai dar ainda mais sentido às image…