9 de mai de 2013

Um lar de mil corações ~ Show your home some love

"A casa da gente é uma metáfora da nossa vida, é a representação exata e fiel do nosso mundo interior". Li essa frase e achei perfeita, pois poucas coisas traduzem tão bem nosso jeito de ser como nosso jeito de morar e decorar espaços. Agora que estou morando no meu cantinho, tenho total autonomia para salpicar corações e objetos de decoração que são, como dizem as pessoas que me visitam: a minha cara. Considero uma proeza transformar um espaço a ponto de torná-lo parecido com quem o habita. E eu tenho conseguido essa façanha... Com a maior naturalidade do mundo!
Quanto às cores:  sou básica e prefiro tons claros nas paredes. A ousadia fica nos detalhes, vasos, almofadas, quadros, fotografias e até mesmo as flores!
Há alguns dias comprei uma tulipa vermelha no supermercado e curti cada momentinho da planta... Vou te dizer: ter uma tulipa em casa, morando em Goiânia, cidade quente pra burro, é uma dádiva da Natureza!
Adorei o constraste do vermelho das flores com o branco da parede!
Os "quadros" abaixo têm uma história engraçada... Eu estava numa dessas mega-lojas de material de construção olhando tampas para vaso sanitário quando passei pelo setor de pisos e acabamentos e vi esse piso lindo. Eu me APAIXONEI pela galinha corujando seus pintinhos... E comprei 2 pisos para emoldurar. Ou seja: os pisos se tornaram quadros! Posteriormente comprei um adesivo com a palavra bom dia em francês e olha o resultado! A família dos galináceos está enfeitando minha cozinha!
Até o "pão duro" da minha casa é romântico...
Agora vamos entrar no escritório...
O quarto de hóspedes...
E detalhes da cristaleira... Coloquei num porta-retrato um cartão que ganhei de uma pessoa muito especial. E na frente, um relógio dinamarquês.
E pra finalizar o tour pela minha maison, uma fotinha da sala. A mesa de jantar é rústica e veio de muito longe. Atrás dela existe um sofazão de 2,90mt. Essa ideia de colocar um sofá na sala de jantar foi minha. Tive este insight porque quando vou à restaurantes, adoro sentar nos sofás (ou booths) e cruzar as pernas em posição de borboleta. Pensei: se gosto tanto de sentar em sofás para comer, porque não ter um deles em casa? A decoradora traduziu minha ideia super bem e desenhou um sofá lindíssimo para compor com a mesa de jantar.
O sofá da sala de jantar se tornou a vedete da casa e ninguém quer saber de se sentar nas cadeiras... Fica todo mundo amontoado no sofazão, que tem vista pra varanda e pra tv.
Bem, adorei mostrar um pouco da minha casa aqui!
Gostaram do meu lar doce (e romântico) lar?
Para reflexão, compartilho com vocês um texto maravilhoso entitulado "Mundo Interior".

Da porta pra dentro, pouco importa a quantidade de metros quadrados e, sim, a maneira como você os ocupa. Se é uma casa colorida ou monocromática. Se tem objetos adquiridos com afeto ou se foi tudo escolhido por um decorador profissionoal. Se há fotos das pessoas que amamos espalhadas por porta-retratos ou se há paredes nuas.
Tudo pode ser revelador: se deixamos a comida estragar na geladeira, se temos a mania de deixar as janelas sempre fechadas, se há muitas coisas por consertar. Isso também é estilo de vida.
Luz direta ou indireta? Tudo combinadinho ou uma esquizofrenia saudável na junção das coisas? Tudo de grife ou tudo de brique?
É um jogo lúcido tentar descobrir o quanto dá de granito e o quando há de madeira na nossa personalidade. Qual o grau de importância das plantas no nosso habitat, que nota daríamos para o quesito vista panorâmica? Quadros tortos nos enervam? Tapetes rotos nos comovem?
Há casas em que tudo o que é aparente está em ordem, mas reina a confusão dentro dos armários. Há casas tão limpas, tão lindas, tão perfeitas que parecem cenários: faz falta cheiro de comida e um som vindo lá do quarto. Há casas escuras. Há casas feias por fora e bonitas por dentro. Há casas pequenas onde cabe toda a família e os amigos, há casas prontas para receber visitas e impróprias para receber a vida. Há casas com escadas, casas com desníveis, casas divertidamente irregulares.
Pode parecer apenas o lugar onde a gente dorme, come e vê televisão. Mas nossa casa é muito mais que isso. É a nossa caverna, nosso castelo, o esconderijo secreto onde coabitamos com nossos defeitos e virtudes.
~ Martha Medeiros