Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2014

Voa alto, balão ~ Up, up and away

Hoje escreverei sobre uma viagem bem especial que fiz em maio.  Fui lá pra Turquia, e além de passear pela já conhecida Istambul, visitei a região da Capadócia. E falar em Capadócia é falar em balonismo, é falar num céu colorido por uma centena de balões que voam de madrugada e no final da tarde levando turistas à loucura nas alturas.  E o que torna essa região específica do mundo tão interessante para o balonismo? Explico: erupções vulcânicas muito remotas deram origem a formações rochosas e pontiagudas que conferem à paisagem da Capadocia um "Q" de território lunar. É muito diferente, senti que voltei no tempo e alcancei a época de Jesus Cristo, tamanha a rusticidade do cenário. E belezas à parte, o céu da Capadócia é muito limpo e os ventos que favorecem o balonismo.  Peguei o vôo matinal, e para alcancá-lo, tive que sair do hotel às 5 da manhã. Quando os balões estavam quase cheios de gás, a luz do dia já se pronunciava.



E quando meu balão subiu, o sol subiu junto... 
 F…

Topiária de madiba ~ Flower topiary

Topiária é a arte de podar plantas em formatos ornamentais.  Quando as topiárias são feitas com arbustos, a imaginação é o único limite do artista, já que a estrutura da planta permite ousadias que vão de uma bola elementar a personagens da Disney. A propósito, quem já visitou a Disney certamente se encantou com a Minnie, Mikey e muitos outros personagens feitos de arbustos vivos nos jardins dos parques. Já as topiárias florais são mais limitadas em função do peso da espuma que retém a água. Se a bola de espuma for muito grande, o arranjo fica pesado e pode afundar/descer na base que o sustenta. Uma técnica usada para evitar este pequeno desastre consiste em revestir a bola de arame, mas para manter a vida simples, prefiro fazer topiárias menores e mais compactas.  Para elaborar uma topiária delicada, com aproximadamente 50cm de altura, escolhi uma flor chamada madiba. A madiba é uma flor resistente, de no máximo 2cm de diâmetro e cores bem definidas. 
E a topiária finalizada com alg…

Meia entrada, culpa inteira

Já finalizei meu curso superior e pós-graduação há um par de anos. Portanto, não sou mais estudante.  Eu até faço aulas de alemão na universidade, mas estudante, no rigor do termo, eu não sou. E como resultado, não tenho direito a pagar meia entrada em shows, cinemas, teatros e etc.  Só que eu sou humana, brasileira, e naturalmente fico tentada a usufruir dos descontos, apesar de não ser mais estudante.  Sei que estou errada, mas encontro subsídios para justificar a vontade de forjar uma carteirinha de estudante, sendo o primeiro deles o preço alto dos ingressos dos shows e cinemas. Isso mesmo! É muito caro acessar a cultura neste país. Eu bem que mereço uma carteirinha falsa pra fazer economia.  Pensei... Pensei... Fiquei desconfortável com a ideia de forjar uma carteirinha de estudante, mas acabei decidindo fazê-la para pagar meia entrada no show do cantor inglês Elton John. O ingresso "cheio" custava R$ 360,00 e a meia R$ 180,00.
Qual ser humano não ficaria tentado em po…

Que sensação boa ~ What a feeling

"What a feeling
Being's believing
I can't have it all 
Now I'm dancing for my life
Take your passion
And make it happen
Pictures come alive
You can dance right through your life"
1

♥ ♥ ♥

Um limoeiro na varanda ~ A lemon tree at home

- Você moraria numa zona rural?  Eu não.  No Brasil, 85% da população vive em centros urbanos. E não é pra menos... Nas cidades encontramos infraestrutura, alimento, conforto, diversão, convívio social e trabalho, além de outras facilidades bastante atrativas que nos levam para longe do caminho da roça.  Mas o que fazer com aquele ser essencialmente simples que vive em nosso imaginário, implorando por uma vida mais frugal, pelo contato com a natureza e pelas delícias da terra? O jeito é escutá-lo também...  Afinal de contas, não é porque moramos na cidade que temos que abandonar versões mais rurais da nossa essência.  Foi pensando nisso que eu comprei uma árvore frutífera muito comum nas fazendas e roças brasileiras para colocar na minha varanda.  { #fazendinhafeelings #caipirinhadelivery #limonadacaseira } Senhoras e senhores, com vocês meu limoeiro:


Um limoeiro??? Na varanda??? Sim!!! Fala se não ficou o máximo da elegância? Comprei a árvore com quase dois metros de altura e cheia …

Inhotim

Inhotim é, no rigor da definição, um instituto.
Mas ao meu ver, Inhotim é um parque temático de arte contemporânea. 
Quem não entende bulhufas sobre arte - como é o meu caso - pode imaginar que a visita a um parque desta estirpe seja enfadonha. Mas não é.
Não é porque Inhotim é diferente de um museu urbano no qual você entra, olha para uma porção de obras e sai. Em Inhotim o visitante interage, toca, sente, se mistura, se toca e pertence. É diferente, viu? Só visitando pra saber...
Imagine que você está caminhando por trilhas bem bonitas, cheias de verde quando, de repente, se depara com uma construção em forma de octágono toda revestida em espelho e você está lá, refletida no espelho, boquiaberta e imersa naquela loucura tropical.

Em outros momentos a arte exposta representa tão bem alguns cotidianos da nossa cultura que a vontade de pertencer à obra faz com que as pessoas completem o cenário com seus próprios movimentos...

Um caleidoscópio gigantesco reflete a paisagem (e as pessoas…

Um passeio pelo verde ~ A stroll through the green

Português/English Há um saber, oriundo da ciência e principalmente da nossa experiência pessoal, que preconiza o poder restaurador da natureza. Sabemos que estar em contato com a natureza tranquiliza, relaxa e acalma. Sabemos, mesmo que de forma empírica, que a pressão arterial diminui, que os batimentos cardíacos entram num compasso menos frenético e que a alma descansa quando estamos imersos no verde. Mas as cidades nos atraíram com suas facilidades e seus cinquenta tons de cinza... E o contato com o verde foi relegado aos momentos em que podemos nos dar ao "luxo" de escapulir das grandes cidades. Escapuli recentemente para um lugar que combina a natureza com a arte. Trata-se de Inhotim, um instituto que foi idealizado em 1980 e abriga um complexo museológico de quilate internacional totalmente imerso em jardins de beleza singular.  A beleza do lugar é tamanha que merece mais de uma postagem... A primeira vai retratar o acervo "natural" e clorofilado e a segunda,…