Pular para o conteúdo principal

Livre-se do excesso e acesse quem você é!

Olho para minha casa hoje e vejo muitos espaços vazios. 
Vejo nichos que outrora abrigavam centenas de livros e álbuns de fotografia reduzidos à brancura da laca. 
Os objetos que eu vaidosamente adquiri em viagens foram descartados com critério e sem crueldade. 
Roupas, sapatos, objetos de cozinha e decoração... Tudo o que possuo está sendo cuidadosamente avaliado. Traz alegria ou não? É entulho ou utilidade? 
Esse confronto com minhas coisitas foi instigado pela leitura do livro "A mágica da arrumação", escrito peja japonesa Marie Kondo. 
Botei fé no livro porque japonês é fera em desenvolver metodologias. E não me decepcionei. Pelo contrário, me surpreendi muito pela transformação (em curso) que estou vivenciando. 
O método da Mari é simples: confronte cada item que você tem, pegue, toque, pergunte a si mesmo se aquilo te traz alegria. Se não traz alegria, descarte. E depois organize o que sobrou. 
Parece bobinho, truque antigo, mas funciona que é uma beleza. Fui me dando conta, ao lidar com minhas roupas por exemplo, que acumulei muitas delas porque são bonitas ou porque foram presentes que não tive coragem de descartar. A maioria delas ficava encostada no guarda-roupas ocupando muito espaço e energia. Mas eu nunca, ou raramente as escolhia para usar, apesar da beleza ou do carinho que tinha pela pessoa que me presenteou. 
Como resultado, acumulei muitas roupas que não me davam prazer nenhum ao usá-las. Ao ler o livro, separei mais de 300 peças de roupas para doação, e algumas eu coloquei à venda na minha lojinha do Enjoei
Depois do descarte, parti para organizar o guarda-roupas, que ficou um espetáculo! Não tenho mais "caixas organizadoras", tudo está exposto porque agora SOBRA espaço! 
Lidar com fotografias, que são minha paixão, foi outra paulada na caixola. Me dei conta no processo que eu tinha um apego desmedido as memórias, as lembranças. Eu era a pessoa na família responsável pelo arquivo de fotos e vídeos, mas ao ler o livro, percebi o peso que isso me trazia! Me senti o museu ambulante em pessoa, que nunca era visitado, mas mantinha o acervo numeroso sempre organizado. 
Reduzi dezenas, quase centenas de álbuns a menos de 10 álbuns, nos quais compilei as fotos que eram realmente importantes PRA MIM. E a constatação mais interessante que tive é que a família provavelmente nem vai dar falta de todas aquelas fotos que foram jogadas no lixo... O apego maior era meu, inclusive ao fato de ser a guardiã oficial das fotos. Apego pelo apego! Que bobagem essa minha... O apego e o apego pelo apego foram pro lixo junto com as fotos. Me senti tão leve e satisfeita depois desse detox! 
A ficha que finalmente, e felizmente caiu, é que todas aquelas fotos retrataram a formação da pessoa que sou HOJE. É exatamente essa pessoa que deve ser celebrada, e não aquele entulho enorme de imagens. O que tenho é o hoje, é quem sou no momento presente. E isso é o que me interessa agora. 
Como é que eu não pensei nisso antes... Sinto que perdi tanto tempo relevando coisas irrelevantes. 
Separei alguns trechos do livro sobre lembranças para compartilhar com vocês. Vejam que interessante: 


  • Não devemos celebrar as lembranças, mas sim a pessoa que nos tornamos por causa das experiências que tivemos. Essa é a lição que os objetos de valor emocional nos ensinam quando os organizamos. O espaço em que vivemos deve se adequar à pessoa que somos agora, e não àquela que fomos um dia.


  • As memórias realmente valiosas nunca desaparecerão, nem mesmo se você se desfizer dos objetos relacionados a elas. Vivemos no presente e não podemos ficar presos no passado, não importa quanto as coisas tenham sido maravilhosas. A alegria e o entusiasmo que sentimos aqui e agora é o que interessa. Portanto, mais uma vez, a melhor maneira de escolher objetos que vai manter é segurar cada um e perguntar: "Isso me traz alegria"?

  • Vivi aqueles momentos plenamente e fui capaz de agradecer a eles pela alegria que me proporcionaram na época. Ao manusear cada item de valor sentimental e decidir o que descartar, você processa seu passado.




Vai ficando claro, no decorrer do livro, que menos é mais. Estou reduzindo meus pertences dia após dia... E para meu espanto (e felicidade) não sinto falta de ABSOLUTAMENTE NADA que doei/descartei. Já foram embora mais de 20 sacos de 100 litros... Êta energia que estava parada!
O livro "A mágica da Arrumação" é fenômeno de vendas no mundo inteiro. Desejo que mais e mais pessoas leiam esse livro para que elas, assim como eu, façam contato com sua essência, com seus valores mais fundamentais, e, como consequência, mudem de forma definitiva sua relação com o consumo. 
Depois de reduzir tanto, é impossível voltar ao estágio original. Dar-se conta que viver com menos é viver melhor é fantástico, é libertador. Isso muda vidas!
Alguém aí tem interesse em ler esse livro? Interesse de verdade verdadeira?
Caso sim, deixe um comentário. Se houver mais de uma interessada, farei um sorteio. Vale para quem mora em qualquer lugar do mundo. 
Será meu presente de Natal a você e minha pequena contribuição para um mundo mais iluminado. 
Sorteio dia 30/11 para o livro chegar a tempo do Natal ;)
Bjocks


♥  ♥  

Comentários

  1. Passt das Entrümpeln [cleariing out] denn auch wirklich zu deiner Persönlichkeit, Marcia? Sicherlich ist es wichtig, sich von unnötigem Ballast zu befreien, doch auch nur, wenn es deinem Naturell entspricht. Es gibt Menschen, die sind einfach Jäger und Sammler - und die fühlen sich in einer nahezu leeren Wohnung nicht wohl. Machst du es für dich oder um später eine Wohnung zu haben, die man zwar in einem Wohnmagazin vorstellen könnte, in der du dich und dein Mann vielleicht gar nicht so richitg wohl fühst, weil wenig Persönliches darin enthalten ist und weniger die Wohnqualität als das Aufräumen im Vordergrund steht.
    Du wirst es spüren, ob es dich glücklicher macht oder vielleicht auch nicht!
    Ich wünsche dir, die richtige Entscheidung getroffen zu haben!
    Dir ein schönes, erfülltes Wochenende!
    Uwe.

    ResponderExcluir
  2. Bem, estou como você... também li o livro... estou com a maior dificuldade de me desfazer dos meus vidros de consevas... agora, me restão 20! Nos papeis ainda não mexi... os livro, estes sim, já se foram muitos! Uso o metódo do livro deixado em algum lugar para alguém apanhar. Caso você tenha algum livro para trocar ou doar... gosto muito de ler. O meu blog que fala das coisas que Eu leio é esse: http://missheloisa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nossa, que transformação hein Marcita!?... engraçado isso de se desfazer de coisas... eu ainda tenho um pouco de dificuldade com isso, porém não tenho tantas coisas assim (bom pelo menos eu acho que não, rs....). Todos os anos vou fazendo uma "mini limpeza" no guarda-roupa pra poder não acumular, mas como é difícil...
    Acho que essa sua transformação tem muito a ver também com o seu atual momento de vida: casamento, casa nova, partilha a dois e há mesmo que se ter espaço - físico e emocional - para o NOVO.
    Que essa sua nova filosofia permeie a sua vida daqui por diante!
    ps: fui até olhar a sua lojinha lá no enjoei. Só coisa linda!! Bons negócios!!!!
    Ah, obrigada pelo comentário fofo lá no blog. Eu tento levar a vida da maneira mais leve possível, tentando me cercar de coisas e pessoas bonitas :-). Até agora, tem dado certo! Bjss

    ResponderExcluir
  4. Querida Márcia,
    Adoro ler seus textos. São leves, ricos de experiências e sentimentos. Sempre que estou precisando me sentir melhor, medito, relaxo e leio algum escrito seu. É como um bálsamo. De verdade, verdadeira. Adoraria receber o livro de presente de Natal. Moro em Olinda/PE. Abraço fraterno!

    ResponderExcluir
  5. Confesso que estou fazendo desapego há algum tempo, mas ainda falta muito coisa. Estamos nos mudando para a Alemanha e coloquei as louças na caixa e deixei algumas para usar até a mudança e eu levei um susto, pensei pq ter tanta coisa?
    Eu também tenho um grande problema em não querer jogar vidro fora, tenho vários vidros de Nutella não consigo elimina-los ...
    Mas estou disposta em mudar, desapegar geral, por sorte do destino eu ganhei o livro, logo ele chega por essas bandas.
    Boa sorte para as que irão participar.
    Beijos lindona!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Amiga,
    Fui na sua lojinha amei dois vestidos. Estava pronta para dar um lance e quando vi o tamanho fiquei triste.
    Você é pé e eu sou M para muito grande...rs

    Você havia comentado desse site e nunca tinha parado para ver. Vou montar um lojinha lá, tenho algumas coisas para vender.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Marcia, minha mae sempre disse que ha de fazer espaco para que novas coisas cheguem, para que a energia flua. Mas sabe como e ne? Casa de ferreiro o espeto e de pau kkkkkkk entao em meados de junho comprei esse bendito livro e nem sei direito explicar o quanto me fez bem! O que ja estava bom, eu sinto de fato que tudo mudou pra melhor e estou aqui feliz e na torcida que seja assim para vc tambem! Beijo!

    ResponderExcluir
  8. Marcia também estou tentando viver somente com aquilo que necessito, tudo começou com a falta da água aqui em Sampa, acabei gostando do resultado e consequentemente a cada dia mais coisas são descartadas, realmente é libertador... bj

    ResponderExcluir
  9. Levei muitas pauladas nesse post pois me vi em muitos cenários dos quais você compartilhou, Marcitha !!!! Preciso fazer um rapa urgente na minha casa!!!!
    Bjos!

    ResponderExcluir
  10. Eu tava esperando ler uma resenha desse livro que fosse sincera e coerente. Adorei. Vou baixar esse livro assim que terminar o que estou lendo. Adorei o blog! Bjos

    ResponderExcluir
  11. Que legal ler tudo isso! Uma verdadeira inspiração esse post, Marcinha. Eu nunca fui de ter muito, e adoro essa coisa de que menos é mais. Mas mesmo assim, sempre acabo acumulando. Esse ano também já fiz muitas doações de roupas e sapatos, principalmente para um abrigo de refugiados aqui em Fürth. É tão bom fazer isso! A gente se sente mais leve, ganha espaço em casa e de quebra ajuda outras pessoas. Eu estou sim muito interessada nesse livro! Pelo visto vai rolar sorteio! Vou ganhar hehehe
    beijão, você é uma inspiração viu!

    ResponderExcluir
  12. Obrigada a todas vocês pelos comentários! Que bom saber que tanta gente está reconsiderando o "ter".
    Amanhã farei o sorteio do livro e postarei o nome da vencedora!
    Que o livro seja de grande valia, de grande aprendizado.
    Bjocks


    Thanks Uwe for your comment. Every change that I am going through, that I am enduring, is coming from within :)
    Best wishes!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Aproveite a paisagem e deixe um comentário! Enjoy the landscape and leave me a comment ♥

Postagens mais visitadas deste blog

Festa na floresta ~ A pink safari party

Fim de semana passado foi a vez da mais nova integrante da família celebrar seu aniversário. Nathália, minha sobrinha e afilhada, completou 2 aninhos de idade numa festa pra lá de linda. Os bichinhos da floresta vieram em peso pra festa porque o tema da decoração era um "Safari Rosa". Tigresas, elefantes, girafas, macaquinhas e outros "animais" enfeitaram o salão com uma graciosidade pensada nos mínimos detalhes. As samambaias, árvores e folhas trouxeram o clima acolhedor da floresta, ao passo que os balões rosa e a forração com print animal deram um tom feminino da decoração. ♥ Last weekend my niece Nathália celebrated her birthday. Her party was planned under the motto "Pink Safari", and every detail was nicely thought and done to match some kind of a girly forest. I shall explain to my foreign readers that kid's parties can be big events in Brazil. In terms of planning, size and budget, kid's parties can be compared with small weddings. You wil…

As namoradeiras de janela ~ Brazilian folk art

Português/English Reza a lenda que as esculturas das namoradeiras retratam as moças de antigamente que se debruçavam na janela em busca de um namorado, já que suas famílias eram conservadoras e as privaram de sair de casa para conhecer rapazes. 
Com um braço apoiado na janela e o outro segurando o rosto, as namoradeiras representavam nitidamente uma espera - a espera pelo grande amor de suas vidas.  Privadas da liberdade, as namoradeiras caprichavam no visual para atrair bons partidos. Os lábios carnudos, os decotes sensuais e os olhares sonhadores eram as armas de sedução das namoradeiras.  Embalados pela lenda e pelas armas de sedução femininas, artesãos de todo o Brasil reproduzem esculturas de namoradeiras belíssimas.  Algumas esculturas têm um olhar doce e sonhador, outras têm um olhar capcioso, quase pecaminoso. É a arte imitando a vida... ♥♥♥ Once upon a time Brazilian girls brought up in the countryside were forbidden by their strict parents to go out and flirt with boys. Left w…

Fotos pulando ~ Jumping pictures

Fotografia é expressão. Fotografia é registro. Fotografia é diversão.  Além de gostar de fotografar, edito livros de fotografia que retratam, na maioria das vezes, viagens.  E através das fotos eu percebo que as pessoas têm um certo padrão na hora de fotografar, padrão que se reflete nas poses preferidas, ou até mesmo, nas poses "caricatas".  A pose caricata do meu irmão é hilária: ele se deita nos bancos das praças, como se estivesse dormindo, e pede para alguém fotografar a cena. Não há uma viagem sequer que ele não fotografe um "soninho fingido" no banco da praça, kkk.
Outra amiga-cliente ama fotografar, juntamente com o namorado, a pose do "cavalinho" das quadrilhas. Eles juntam as mãos e saem em disparada, dando pequenos pulinhos... Dá pra imaginar a cena em frente ao Coliseu na Itália? A foto ficou um colosso!
Minha irmã gosta de posar para fotos com o pescoço levemente jogado para a direita. Minha mãe geralmente coloca as mãos na cintura. Já a cria…