Pular para o conteúdo principal

Um esquecimento sincero

Na Roma antiga, escultores desonestos ocultavam as imperfeições de suas obras de mármore com cera. 
Sabedores dessa fraude, os escultores honestos faziam questão de ressaltar que suas estátuas eram "sine cera", ou seja, autênticas, verdadeiras, honestas.
Essa é uma das explicações da origem da palavra sincera.
A cera usada antigamente pelos escultores é facilmente aplicada no sentido metafórico, já que cada um de nós fez - ou faz cotidianamente- uso da cera para sublimar situações ou argumentos.
Por vezes, justificamos o uso da cera em alicerces sentimentalistas, como se o outro não fosse capaz de compreender, ou mesmo tolerar, a verdade. Mas será que ser verdadeiro e sem cera machuca o outro tanto assim?
Passei por algumas situações recentemente que me fizeram ponderar bastante sobre a sinceridade - e o quanto ela é libertadora. Uma destas situações eu vou detalhar aqui.
Convidei um amigo muitíssimo querido para meu casamento . Não nos vemos há muito tempo, mas nossa amizade independe do contato frequente e segue firme há vários anos. Mandei o convite do casamento pelos Correios e depois de um tempo mandei uma mensagem perguntando se ele tinha recebido o convite (no Brasil tudo pode acontecer com correspondências, por isso é prudente verificar). Ele confirmou o recebimento e também a presença.
Foi chegando o dia do casamento e nada de ter notícias desse amigo... Nenhum questionamento sobre hotéis, restaurantes, vôos... Entendi esse silêncio como um indicativo de que ele não viria, só que no meu íntimo eu tinha a sensação de que ele e a esposa me surpreenderiam no dia.
Mas isso não aconteceu.
Passadas algumas semanas, o amigo me liga. Me perguntou da lua de mel, da vida, e perguntou se poderia ser sincero.
- Opa, claro! Sempre! - respondi.
- Então Márcia, eu não fui ao seu casamento porque me esqueci.
Minha primeira reação foi ficar em silêncio e a segunda foi rir, bem alto. Não do esquecimento em si, mas da explicação incontestavelmente sincera que ele me deu. Foi tão sincera que soou hilária.
Ao contrário desse amigo, muitos convidados que não compareceram nos deram explicações abarrotadas de cera...
O uso de desculpas e mentirinhas cria anomalias nas relações, porque um finge que convence e o outro finge que é convencido. Daí as coisas degringolam, porque não estão fundadas em bases coerentes.
Não é mais fácil e mais libertador simplesmente falar a verdade, como fez esse amigo meu?
Eu estou convencida que sim.
E você?



♥  ♥  

Comentários

  1. Sem dúvidas, minha amiga! Mas putz, que cara esquecido hein! o.O No meu casamento teve uma colega me mandando mensagem na noite anterior dizendo que não iria e dando desculpas esfarrapadas por sms, o que é de lascar ainda mais! Teve também um amigo alemão do Kilian que confirmou a presença e não apareceu e depois de tudo, nunca mais atendeu as ligações dele. Juro que pensamos que ele tinha morrido, mas nos confirmaram que não. O que eu acho chato é que pensamos na pessoa com carinho durante a seleção dos convidados, fizemos convite pra pessoa, reservamos um lugar pra ela e tudo o que recebemos em troca foram desculpas por não ter aparecido ou simplesmente fomos ignorados. Eu fiquei muito sentida com as pessoas que me avisaram de última hora que não iriam. Elas que nem queiram saber o transtorno que causaram. O que mais desejo é que as mesmas um dia se casem e sintam na pele o que é organizar um casamento. O marido coitado, ficou com o coração partido por causa desse colega de trabalho. Acho que ele, até mais que eu, gostaria muito algum dia de receber uma ligação assim como a sua, do amigo dizendo que simplesmente esqueceu. Acho que toda a mágoa que ele sente sumiria. Concordo muito com suas palavras, nada é mais libertador que a verdade!
    Um beijo
    P.S. aguardando o seu email! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu amigo é mesmo "avoadinho", Ana! Mas um avoadinho sincero que está super perdoado :)
      Amiga só quem se casa sabe o quanto é difícil planejar uma recepção e fazer a lista de convidados, já que temos que escolher alguns convidados em detrimento a outros. Além dessa difícil escolha, a gente coloca tanto amor nos preparativos que tomamos como uma "afronta pessoal" quando os convidados não comparecem por motivos banais, ou fazem pouco caso do nosso dia especial. Entendemos que as pessoas têm outros compromissos e imprevistos, e isso a gente calcula (aproximadamente 15% de ausência). Mas estamos tratando aqui das pessoas que confirmam e não comparecem, sem dar a mínima pelo convite. Poxa que colega sacana esse do Killian, para vocês acharem que ele tinha morrido é porque contavam muito com ele e com a sinceridade dele. Que atitude feia essa de dar o perdido e simplesmente desaparecer..
      Sinto muito que seu colega mandou mensagem por sms com desculpas esfarrapadas...Eu também recebi várias por whatsapp, inclusive no dia do casamento. Imagina, a gente já fica com os nervos à flor da pele e as pessoas deixam pra falar bem no dia que não vão comparecer. Uma "amiga" fez isso comigo, na tarde do casamento. Disse que uma parente iria operar na terça em Goiânia, então ela deixaria pra viajar de Sp pra Goiânia na semana seguinte.
      (Mas o pior está por vir... )
      Quando ela viu as fotos do casamento e do Jota Quest, ela me escreveu: não acredito que perdi esse festão e o show deles! Ou seja, ela não estava interessada em prestigiar a noiva... e sim em desfrutar do evento.
      Enfim Aninha... nada como viver as situações para nos ensinar a lidar com elas.
      Eu, principalmente depois de estar do "outro lado da história", tenho a MAIOR consideração quando sou convidada a uma festa, principalmente as de casamento. Pelo que se gasta (de tempo, amor e energia e dinheiro) pra fazer o evento, sinto-me HONRADA por ser convidada. Só deixarei de prestigiar quando tiver um motivo muito forte e sincero para não comparecer.
      Agora fique tranquila, quem te deu o balão vai passar por isso e vai aprender...
      Beijo!
      Ah, o e-mail tá no forno!

      Excluir
  2. Marcia eu ameeeeeeei esse teu amigo! Simples, direto e honesto! A vida seria tao mais simples se todas as pessoas deixassem as desculpinhas esfarrapadas pra la...ai ai... Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Bella!
      Vai ficando simples à medida que a gente simplifica e se desarma para a verdade.
      Fiquei pensando posteriormente: Se fosse eu a esquecida, teria eu a coragem de assumir a uma amiga (o) que não compareci porque me esqueci do evento?
      Talvez eu nunca fosse perdoada, mas depois dessa lição que aprendi com meu amigo, eu correria o risco.
      Bjs!

      Excluir
  3. Ai, adorei saber a origem da palavra sincera. Que lindo!
    A verdade é que a gente nâo está acostumada com sinceridade. Quando as pessoas a usam, (caso do seu amigo), a gente leva mesmo um baita susto, rs.... Eu ficaria chateada com o não comparecimento de um amigo ao meu casamento, mas diante da sinceridade dele, eu perdoaria :-).
    A verdade sempre vale a pena! Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sandrinha também achei a explicação da origem da palavra sincera um barato! É extremamente ilustrativa!
      Você tem razão em dizer que não estamos acostumados com a sinceridade. Tanto é que, quando estamos prestes a ser sinceras, por vezes perguntamos ao outro: - Posso ser sincera?
      É como se precisássemos preparar o outro para a sinceridade.
      Isso não é uma coisa estranha?
      Ao mesmo tempo que a verdade liberta, ela também machuca. Eu, na minha perspectiva pessoal, prefiro a verdade dita de uma forma sutil. E quando agimos com a verdade, ela vai ficando tão natural que passa a doer menos.
      Eu também fiquei chateada com meu amigo... Afinal de contas o casamento não é um dia comum, muito menos pra mim. Ele me disse ao telefone que a esposa teve um pressentimento e o perguntou, no dia do casamento: aquela amiga sua de Goiânia se casa por agora?. Mas já era sábado de manhã e eles não toparam a correria e os custos de viajar de última hora. Ele pediu o meu perdão, que eu naturalmente concedi. Mas ele me disse que nunca vai se perdoar por esse esquecimento, pois ele perdeu o casamento da guria querida.
      Enfim, diante da sinceridade a gente se desarma, e o esquecimento pode acontecer com qualquer pessoa (ainda mais com ele que é avoado).
      Mas vamos tocando né querida! E marcando no calendário os compromissos que não podemos perder ;)
      Bjs

      Excluir
  4. Hmm,

    can't read any word, Maybe next time again.
    But it seem to be something interesting topic, otherwise the comment would have been shorter...

    All the best from sunny and warm November in Germany,

    Uwe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Uwe, sorry for not writting in English...
      The post was about a cultural issue, Brazilians tend to say something and do something else (with not short notice).
      Thanks for dropping by!
      Cheers from rainy Brazil

      Excluir
  5. Eu concordo, mas dependendo da situacao (e da verdade a ser dita), uma extra dose de tato deveria fazer parte do pacote :-)
    Beijocas, e boa sexta-feira!!!! :-)
    Angie

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda melhor se a verdade vem envelopada de cuidados ;)
      Bjocks e ótimo finalzinho de outono por aí querida!

      Excluir
  6. Gente, eu teria acabado de rir tb !!! Pelo menos foi sincero e ligou!
    Sinceridade pra mim +e também um traço de humildade. Admitir que errou, que esqueceu é melhor do que encher a conversa de cera...Márcia, porque as pessoas se preocupam tanto com a sua reputação ao invés da relação? Não é louco, isso?

    Beijos e chorei rios ao ver suas fotos de casamento!!!! Super top, do jeito que VC MERECE!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tocou num ponto crucial, Gigi: preocupar-se com a reputação ao invés de preocupar-se com a relação.
      Só que quem se preocupa com a reputação tenta maculá-la de todas as formas e não dá pra sustentar isso por muito tempo...
      We are who we are :)
      Me emocionei com a sua emoção. Você tem participação nesse momento... Foi um conselho que você me deu que me deixou cheia de coragem para romper com uma pessoa... E, estando livre, encontrei meu grande amor.
      Tenho muito carinho e admiração por você, Gisley.
      Um beijo grande!!!
      Márcia

      Excluir
  7. Eita cabecinha oca...kkkkk
    Coitado!
    Imagino como ele deve ter ficado.

    Beijos


    ResponderExcluir
  8. Eita cabecinha oca...kkkkk
    Coitado!
    Imagino como ele deve ter ficado.

    Beijos


    ResponderExcluir

Postar um comentário

Aproveite a paisagem e deixe um comentário! Enjoy the landscape and leave me a comment ♥

Postagens mais visitadas deste blog

Festa na floresta ~ A pink safari party

Fim de semana passado foi a vez da mais nova integrante da família celebrar seu aniversário. Nathália, minha sobrinha e afilhada, completou 2 aninhos de idade numa festa pra lá de linda. Os bichinhos da floresta vieram em peso pra festa porque o tema da decoração era um "Safari Rosa". Tigresas, elefantes, girafas, macaquinhas e outros "animais" enfeitaram o salão com uma graciosidade pensada nos mínimos detalhes. As samambaias, árvores e folhas trouxeram o clima acolhedor da floresta, ao passo que os balões rosa e a forração com print animal deram um tom feminino da decoração. ♥ Last weekend my niece Nathália celebrated her birthday. Her party was planned under the motto "Pink Safari", and every detail was nicely thought and done to match some kind of a girly forest. I shall explain to my foreign readers that kid's parties can be big events in Brazil. In terms of planning, size and budget, kid's parties can be compared with small weddings. You wil…

As namoradeiras de janela ~ Brazilian folk art

Português/English Reza a lenda que as esculturas das namoradeiras retratam as moças de antigamente que se debruçavam na janela em busca de um namorado, já que suas famílias eram conservadoras e as privaram de sair de casa para conhecer rapazes. 
Com um braço apoiado na janela e o outro segurando o rosto, as namoradeiras representavam nitidamente uma espera - a espera pelo grande amor de suas vidas.  Privadas da liberdade, as namoradeiras caprichavam no visual para atrair bons partidos. Os lábios carnudos, os decotes sensuais e os olhares sonhadores eram as armas de sedução das namoradeiras.  Embalados pela lenda e pelas armas de sedução femininas, artesãos de todo o Brasil reproduzem esculturas de namoradeiras belíssimas.  Algumas esculturas têm um olhar doce e sonhador, outras têm um olhar capcioso, quase pecaminoso. É a arte imitando a vida... ♥♥♥ Once upon a time Brazilian girls brought up in the countryside were forbidden by their strict parents to go out and flirt with boys. Left w…

Fotos pulando ~ Jumping pictures

Fotografia é expressão. Fotografia é registro. Fotografia é diversão.  Além de gostar de fotografar, edito livros de fotografia que retratam, na maioria das vezes, viagens.  E através das fotos eu percebo que as pessoas têm um certo padrão na hora de fotografar, padrão que se reflete nas poses preferidas, ou até mesmo, nas poses "caricatas".  A pose caricata do meu irmão é hilária: ele se deita nos bancos das praças, como se estivesse dormindo, e pede para alguém fotografar a cena. Não há uma viagem sequer que ele não fotografe um "soninho fingido" no banco da praça, kkk.
Outra amiga-cliente ama fotografar, juntamente com o namorado, a pose do "cavalinho" das quadrilhas. Eles juntam as mãos e saem em disparada, dando pequenos pulinhos... Dá pra imaginar a cena em frente ao Coliseu na Itália? A foto ficou um colosso!
Minha irmã gosta de posar para fotos com o pescoço levemente jogado para a direita. Minha mãe geralmente coloca as mãos na cintura. Já a cria…